Marcelo Sarralha, head de soluções de mobilidade urbana da Visa do Brasil: “A pandemia contribuiu para impulsionar o uso dos pagamentos por aproximação no transporte público”

“O Brasil tem muito potencial e as perspectivas são muito boas. Temos apostado bastante nesse mercado, e estamos aos poucos ganhando mais espaço”, comenta o executivo

Technibus – Quais as principais tendências em meios de pagamentos para o transporte coletivo? Há novidades previstas? 

Marcelo Sarralha – O pagamento por aproximação por cartões bancários é uma tendência em pleno crescimento, que tem ganhado força como solução complementar para pagamentos relacionados à mobilidade urbana, e está definindo o futuro do transporte público, principalmente por poupar um tempo valioso para os passageiros, evitando filas para comprar um bilhete, não necessita de recarga, pois o valor é debitado direto na conta ou na fatura do portador do cartão, além da redução do contato com atendentes ou equipamentos, algo essencial no contexto atual.

Uma análise da Visa realizada no metrô do Rio de Janeiro-RJ, durante a implementação da tecnologia Visa Secure Access Module (VSAM) para a aceitação da modalidade de pagamento por cartão de crédito, débito, pré-pago ou equipamentos com a tecnologia NFC, realizada entre janeiro de 2019 e agosto de 2020, sugere que o transporte público pode ser um grande impulsionador do uso de pagamentos por aproximação. O estudo reforça que os usuários do metrô perceberam imediatamente os benefícios do uso dos pagamentos sem contato nas catracas, como economia de tempo, aumento de segurança e de conveniência, além da fluidez no embarque. E aponta que após o primeiro uso, nove em dez pessoas continuam usando o pagamento por aproximação em outras viagens.

A empresa vem realizando um forte trabalho de implementação da solução de pagamento por aproximação no Brasil.  Além do metrô do Rio de Janeiro, já está disponível nos trens e nas barcas da cidade. A solução também foi implantada na capital paulista – em aproximadamente 200 ônibus de 12 linhas -, além de outras cidades no mundo, como Nova York, Londres e Cingapura. A implantação do sistema, conhecido como VSAM, é bastante simples, basta inserir um chip nos validadores existentes. Com a solução é possível levar mais comodidade e praticidade aos usuários de transporte público, assim como mais opções de pagamentos para que possam escolher como pagar pela tarifa.

Technibus – Quais as principais experiências da Visa no setor de transporte de passageiros?

Marcelo Sarralha – Desde abril de 2019, o MetrôRio aceita, em todas as suas 41 estações, o pagamento de passagens por meio de celular, cartão de crédito, pulseira e relógio com a tecnologia NFC. Do ponto de vista de experiência, podemos destacar que o MetrôRio é a primeira operadora no mundo a usar a solução global Visa Secure Access Module (VSAM), que permite a aceitação de qualquer cartão, celular ou dispositivo com a tecnologia de pagamento por aproximação, sem a necessidade de trocar sua atual infraestrutura de validadores. Esta solução começou a valer em abril de 2019, e foi desenvolvida em parceria com Planeta Informática, Ingenico Group e Digicon.

Com o objetivo de aprimorar a experiência do usuário do transporte aquaviário do Rio de Janeiro, promovendo mais segurança e agilidade na hora de pagar as passagens, a CCR Barcas e a Visa começaram o projeto de pagamento em agosto de 2020. Essa parceria com a CCR Barcas levou inovação para o carioca e para o turista, promovendo uma jornada de transporte completa e mais segura. A atuação da Visa na cidade tem sido muito positiva e, com a expansão para outros tipos de transporte, esperamos continuar levando uma experiência mais fluida para os passageiros. 

Também desde agosto de 2020, passageiros portadores de cartões com tecnologia por aproximação de crédito, débito e pré-pagos Visa podem pagar suas viagens no sistema ferroviário do Rio de Janeiro, administrado pela concessionária SuperVia. Com uma malha ferroviária de 270 quilômetros, dividida em cinco ramais, três extensões e 104 estações, a solução está disponível para uso em 36 estações dos ramais Deodoro, Santa Cruz, Japeri, Saracuruna e Belford Roxo.

Technibus – Como o senhor avalia a ampliação dos pagamentos por aproximação no setor de transporte coletivo no Brasil? Quais as dificuldades na adesão dos passageiros ao pagamento por aproximação?

Marcelo Sarralha – A ampliação do uso dos pagamentos por aproximação no transporte coletivo no Brasil está acontecendo. Por enquanto, ainda em regiões específicas, mas a ideia é que, em breve, chegue a todo o país – como já acontece em outros lugares do mundo como em Londres, onde já tem toda a sua rede integrada e aceitação plena.

Em 2019, quando implementamos o VSAM no MetrôRio, por exemplo, iniciamos uma forte campanha de sinalização e incentivo dessa tecnologia para que os passageiros aderissem ao pagamento por aproximação diretamente de seus cartões bancários ou outros dispositivos com NFC para que pudessem pagar pelas suas passagens de forma prática, rápida e segura, vendo o valor da tarifa ser debitado diretamente do saldo na conta do usuário, sem custos adicionais. A campanha foi super positiva. Em agosto de 2020, o índice de uso médio dos pagamentos por aproximação Visa no MetrôRio era de 22%, contra 14% em agosto de 2019, o que significa que a penetração da tecnologia cresceu quase 60% em apenas um ano. 

Com a pandemia, o uso do pagamento por aproximação no Brasil foi acelerado. A comparação de dezembro de 2020 com o mesmo mês em 2019 mostra que os pagamentos por aproximação com credenciais Visa no Brasil cresceram 5x mais, confirmando que a pandemia acelerou a busca por pagamentos mais seguros, rápidos e limpos, uma vez que os consumidores optaram por ter o mínimo possível de contato ao efetuar uma compra. Isso refletiu também no transporte público, contribuindo com uma adesão ainda maior aos pagamentos digitais e promovendo uma verdadeira transformação digital no setor.

Technibus – Quais as perspectivas da Visa para o mercado de transporte de passageiros no Brasil?

Marcelo Sarralha – O Brasil tem muito potencial e as perspectivas são muito boas. Temos apostado bastante nesse mercado, e estamos aos poucos ganhando mais espaço mostrando que, cases como o Rio de Janeiro, podem acontecer em qualquer cidade do país. Por meio do programa Soluções Globais para Transporte Visa, criado para acelerar o uso de contas de débito, crédito e pré-pagas em catracas, portões de acesso de passageiros e leitoras instaladas em diferentes modalidades de transportes, a Visa tem buscado oferecer mais rapidez e uma experiência mais conveniente a usuários de transportes coletivos não apenas no Brasil, mas no mundo afora, contribuindo com a agilidade dos pagamento e permitindo o maior controle das despesas, que estarão reunidas em uma única conta. Estamos expandindo nossas soluções para pedágios e estacionamentos também.

Technibus – Como a pandemia afetou os negócios da Visa no segmento de transporte de passageiros no mercado brasileiro?

Marcelo Sarralha – A pandemia afetou a Visa como toda a indústria. Mas ela também contribuiu para impulsionar o uso dos pagamentos por aproximação no transporte público, por ser mais rápido, seguro e evitar contato direto com dinheiro. Estamos com diversos parceiros trabalhando na implementação do pagamento por aproximação que se populariza em compras do dia a dia.

Por