Jefferson Ferrarez, diretor geral de vans da Mercedes-Benz: “O mercado de vans de passageiros não parou completamente durante a pandemia, apenas reduziu o número de vendas”

Embora as vendas tenham sido reduzidas em 33,5% nos primeiros sete meses de 2020, a empresa aumentou a sua fatia no mercado, de 48,7% para 52,6%

Technibus – Como está o desempenho da Mercedes-Benz no mercado de vans com a crise sanitária?

Jefferson Ferrarez – Em todo segmento de large vans (3,5 a 5 toneladas de PBT) a Mercedes-Benz vendeu 7.127 veículos de janeiro a setembro de 2020 e a participação foi de 35,3%, o mesmo patamar alcançado nos nove meses de 2019, que foi de 35,6%.

Technibus – E no segmento de vans de passageiros?

Jefferson Ferrarez – No mercado de vans de passageiros, embora as vendas tenham sido reduzidas em 33,5%, de 4.436 unidades de janeiro a setembro de 2019 para 2.949 unidades no mesmo período deste ano, a empresa aumentou a sua fatia no mercado, de 48,7% para 52,6% neste ano.

Technibus – O que contribuiu para o aumento de participação?

Jefferson Ferrarez –  O mercado de vans de passageiros não parou completamente durante a pandemia, apenas reduziu o número de vendas, encolhendo 38%. Mas manteve ativo alguns negócios. Quem continuou comprando vans Sprinter durante o período de isolamento social foram os clientes que tinham que fazer a renovação da sua frota para manter os contratos e os empresários do segmento de transporte coletivo que, por conta da contenção do serviço, decidiram substituir o ônibus por vans, no momento em que a pandemia estava mais forte.

Technibus – Como está a demanda do setor de turismo?

Jefferson Ferrarez – O setor de turismo, embora ainda esteja bastante complicado com a queda nas viagens, mesmo assim existem clientes aproveitando a condição especial oferecida pela Mercedes-Benz, com a carência de seis meses e comprando novos veículos. A expectativa é que outubro e até mais em novembro este mercado volte a um patamar muito forte.

Technibus – Como está a demanda do fretamento?

Jefferson Ferrarez – Em setembro, a Mercedes-Benz já identifica um cenário diferente. A economia está voltando a aquecer, os clientes estão comprando vans para usar no fretamento. Outros estão ampliando as frotas e continuando o processo de renovação de seus veículos porque as empresas estão voltando o trabalho presencial.

Technibus – Qual era a sua expectativa para 2020?

Jefferson Ferrarez – Em 2019, tínhamos expectativa muito alta em relação ao que seria 2020 para o mercado de veículos comerciais e prevíamos um crescimento de 20%. Os meses de janeiro e fevereiro começaram bem, mas em março, com a pandemia, o mercado desandou e a expectativa era que cairia de 30% a 40%, mas até o fechamento de setembro a queda de todo o mercado foi de 16,6%. Mesmo assim, a Mercedes-Benz conseguiu ampliar a participação. Apesar da queda do mercado, a notícia positiva é que nos últimos meses está tendo uma tendência de crescimento, uma recuperação mais acelerada deste setor, o que traz mais confiança para todos.

Technibus – O que você espera para 2021?

Jefferson Ferrarez – Em 2020, vamos terminar com um mercado menor, pois não dará tempo de recuperar. Mas em 2021, com a aprovação da vacina contra o coronavírus, acredito que o mercado volte ao patamar acima deste ano.

Por