Prodata Mobility Brasil completa 30 anos de inovação e tecnologia

Empresa foi pioneira na implementação dos sistemas de bilhetagem eletrônica no Brasil e está sempre em sintonia com as principais novidades e tendências em mobilidade

Atuando no mercado brasileiro desde 1991, atualmente a Prodata Mobility Brasil está presente em mais de duzentos e setenta cidades distribuídas em 120 projetos em países como Brasil, Colômbia e Argentina, e já forneceu mais de 135 mil validadores em 13 gerações de equipamentos. A personalização das soluções para atendimento das diversas necessidades e desafios de cada sistema de transporte, com tantas diferenças demográficas, culturais, sociais e políticas, é um dos diferenciais da empresa.

“A Prodata Mobility Brasil se sobressai no mercado porque busca sempre resolver os problemas do cliente, dentro de suas necessidades e especificidades. Desta forma, consolidamos nossa posição de destaque, com quase de 70% do mercado brasileiro, com clientes fiéis e que estão com a Prodata há muito tempo”, declara Leonardo Ceragioli, diretor comercial da companhia.

Ao longo dessas três décadas, a bilhetagem agregou uma série de funcionalidades que ajudam as empresas operadoras no controle de fraudes, recarga dos bilhetes, monitoramento dos veículos e motoristas, além dos aplicativos que fornecem informações aos usuários e das diversas alternativas em meios de pagamento. Um exemplo é cidade de Campinas que iniciou o projeto de bilhetagem em 1996 e hoje já implementou a quarta geração de validadores, com a moderna tecnologia Procloud (ABT), além do aplicativo Transurc Smart, em funcionamento desde 2019.

Em 2020, diversas cidades adotaram o aplicativo da Prodata, uma ferramenta desenvolvida para que cada cliente possa escolher seu nome, logotipo, cores e funções a serem habilitadas como recarga do bilhete de transporte, passagem por QR Code, modos de pagamento e métodos de segurança para validação do cartão bancário. Essa arquitetura chamada de white label permite a escalabilidade do aplicativo. Cajamar (App BEM), Porto Alegre (TRI) e em Jundiaí (App JÁ) já tiveram mais de 100 mil downloads e os acessos continuam crescendo diariamente. Em 2021, o aplicativo será lançado nas cidades de Taubaté, Vitória da Conquista, Mauá, Cabo Frio, Montes Claros, Goiânia, Barueri, Itapevi e Jandira.

O Procloud também é uma das tecnologias mais avançadas do portfólio da empresa. É uma ferramenta Account Based Ticketing (ABT – conta na nuvem), desenvolvida para implantar a cobrança automática de tarifas e bilhetagem para o transporte público. A solução possibilita uma viagem contínua entre várias formas de transporte, entre diferentes operadores e, até mesmo, entre diferentes cidades ou regiões.

Além dos softwares, a empresa também investe em hardwares robustos. Os validadores da linha V36 XX tem características modulares para garantir uma melhor interação com os usuários. O equipamento disponibiliza diversas formas de pagamento do transporte público, por meio de QR Code, cartões de crédito e débito sem contato, Google Pay, Apple Pay, Samsung Pay e cartões de transporte.

A Prodata Mobility Brasil participa de dois dos maiores projetos de bilhetagem da América Latina: São Paulo e Rio de Janeiro.

SÃO PAULO

Em 2014, a empresa iniciou o fornecimento de mais de 13 mil validadores da nova geração e leitores biométricos para São Paulo. Desde 2002, os equipamentos da Prodata já eram usados por mais de 12 milhões de pessoas na grande metrópole.

A Prodata opera uma rede de vendas em São Paulo, processando mais de três milhões de transações por mês, que estão entre as mais de 45 milhões de transações de bilhetagem registradas por dia. No ano passado, a empresa fechou uma parceria inédita com o Mercado Pago, fintech do Mercado Livre, com o intuito de facilitar a vida de quem utiliza o transporte coletivo na capital paulista. A funcionalidade se estende a todos os terminais autoatendimento (ATM) da Prodata localizados nas estações do Metrô-SP. O passageiro pode realizar a recarga por meio de saldo em conta ou com um cartão de crédito cadastrado.

Em dezembro de 2020, todas as estações do Metrô-SP e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) passaram a fazer a leitura de QR Code como passagem, permitindo que o aplicativo TOP para a aquisição de códigos QR Code seja usado para o pagamento da tarifa.

RIO DE JANEIRO

A Prodata Mobility Brasil também está presente no projeto de bilhetagem do Rio de Janeiro, com validadores e leitores de biometria facial, instalados em 25 mil ônibus, que trabalham de forma integrada em um sistema de interoperalidade intermodal, em que um único cartão pode ser usado em todo o estado.

Em 2019, a Prodata forneceu 5,5 mil validadores do modelo V3695 para as linhas de ônibus do estado do Rio de Janeiro no sistema operado pela Riocard. Assim, o transporte coletivo passou a contar com o modelo de bilhetagem integrada, considerado inovador e completo pela marca, que está apto a funcionar nas tecnologias 4G e Banda 28 – uma solicitação especial da Riocard. Toda a frota será conectada à internet e poderá trabalhar em nuvem, o que viabiliza uma série de benefícios para operadores, passageiros e gestores.

Por ser online, a nova bilhetagem permite a realização de recarga e a atualização de dados dos cartões de transporte dentro do próprio veículo. As empresas podem fazer o monitoramento online constante das operações, o que permite rápida atuação para mitigar qualquer eventual problema.

MODERNIZAÇÃO

Goiânia é considerado pela Prodata o modelo mais inovador do Brasil, pois engloba todas as tecnologias disponíveis para mobilidade urbana. A partir de janeiro, o sistema de transporte coletivo de Goiânia e região metropolitana passou por o processo de modernização das soluções de bilhetagem, com equipamentos e softwares da Prodata Mobility Brasil. As primeiras funcionalidades a que o passageiro terá acesso são: a biometria facial, recarga de créditos no cartão a bordo dos veículos, pagamento via cartão de crédito e de débito sem contato, QR Code e por meio de carteira virtual ou pagamento baseado em conta (ABT).

Em março, devido ao agravamento da pandemia da Covid-19, o governo de Goiás limitou o acesso ao serviço de transporte público da região metropolitana de Goiânia aos trabalhadores empregados nas atividades consideradas essenciais, nos horários de pico. Os validadores eletrônicos vinculados aos embarques de passageiros, tanto nos ônibus quanto nos terminais de integração e estações, nos horários programados, fazem a leitura e reconhecimento dos cartões Sitpass somente dos passageiros cadastrados como essenciais.

Segundo o RedeMob Consórcio, que faz a operação da rede, isso só foi possível devido à tecnologia de bilhetagem da Prodata recentemente implantada no sistema metropolitano de Goiânia. A parceria da empresa com a CMTC e o Redemob Consórcio possibilitou a criação de um cadastro emergencial de usuários da bilhetagem. A medida busca reduzir as aglomerações no transporte público durante a pandemia, nos períodos de maior demanda.

A pandemia, cabe ressaltar, acelerou algumas tendências que vinham se consolidando no transporte coletivo do país, como a realização de processos de forma virtual. Se antes tal possibilidade trazia mais comodidade ao usuário, com a Covid-19 tornou-se uma questão de saúde pública. Nesse cenário de distanciamento social, a Prodata desenvolveu soluções que visavam a redução da necessidade das pessoas irem a pontos de vendas para realizar recargas de créditos.

Outra inovação, que foi adotada primeiramente em Porto Alegre e Belém, é o novo motor biométrico para a solução de biometria facial. Com novos parâmetros de avaliação, é possível a comparação das fotos tiradas no momento do uso do cartão com a foto do cadastro, mesmo quando o passageiro estiver usando máscara.

PIONEIRISMO

Os sistemas dos grandes centros urbanos já migraram ou estão em processo de transição para a bilhetagem online ou na nuvem. Quando a Prodata chegou ao Brasil, no início dos anos 90, como um braço da marca que atuava na Bélgica, a realidade era bem diferente. “Não foi fácil conquistar a confiança dos operadores que ainda não estavam familiarizados com a tecnologia. Com soluções 100% dedicadas ao mercado brasileiro, construímos nossa credibilidade e a liderança no setor”, enfatiza João Ronco Júnior, diretor presidente da Prodata Mobility Brasil.

O primeiro contrato fechado pela Prodata foi com Campinas, em 1996, uma das cidades pioneiras na adoção da tecnologia. Na sequência, vieram Santos, Joinville, Teresópolis e São Paulo, em 2003, um dos maiores contratos da empresa.

Em 2001, começaram a ser usados os cartões inteligentes, superando a tecnologia magnética. Até 2002, os validadores ainda eram híbridos, o que possibilitava o uso tanto dos cartões contactless quanto dos magnéticos. A tecnologia magnética não permitia a gravação de informações adicionais e ainda havia um alto custo de manutenção, já que os cartões tinham vida útil limitada.

O relacionamento próximo ao cliente sempre foi uma característica marcante da companhia. “Desde que trouxemos a Prodata para o Brasil, atendemos nossos clientes com responsabilidade e seriedade, encarando esse compromisso como um casamento. Não se trata apenas de vender tecnologia, mas de acompanhar a implementação e o funcionamento do sistema, dando todo o apoio aos clientes. Sempre tivemos muito cuidado com os serviços pós-vendas. A Prodata tem consciência da importância da bilhetagem para o operador de transporte”, conclui Ronco Júnior.

PARCERIAS DE SUCESSO

“Temos uma parceria muito boa com a Prodata. Considero-me uma espécie de ‘padrinho’ da empresa, pois estive na Bélgica, nos anos 90, para conhecer essas novas tecnologia de bilhetagem, e visitei a empresa, que foi a que mais me agradou. Campinas foi a primeira cidade a fechar negócio com a Prodata e iniciar a implementação de bilhetagem. Hoje, não temos a dimensão do que foi introduzir essa tecnologia no transporte coletivo do país, pois todo mundo utiliza os cartões nos ônibus, mas foi uma grande novidade na época. A biometria, assim como a instalação de câmeras no interior dos veículos, também foi uma tecnologia muito importante para reduzir as fraudes e irregularidades que sempre foram comuns aqui no Brasil.

Acredito que a Prodata só trouxe benefícios para os sistemas de transporte do país, sendo um modelo de empresa, que não deixa a desejar em comparação a nenhuma outra do mundo. Vamos continuar a nos aperfeiçoar a cada dia para oferecer o melhor serviço para a população, sempre com o apoio da Prodata. Temos quatro mil ônibus de transporte urbano e todos com tecnologia da marca. Estamos em constante evolução.”

– Belarmino da Ascenção Marta, presidente do Grupo Belarmino, um dos mais tradicionais conglomerados de transporte do país, que atua nos segmentos urbano, suburbano, fretamento e rodoviário.

……………………………………………………………………………………………………………………

“Conheço a Prodata desde a sua fundação, nos anos 90. Estive na Europa em meados da década de 90, para conhecer as novas tecnologias de bilhetagem eletrônica. Na época, os empresários do setor tinham muita resistência a essa inovação e acreditavam que não seria possível implementá-la no Brasil. A Prodata realizou um trabalho de ‘desbravamento’ do mercado, sempre com a convicção de que era possível trazer essas soluções para a nossa realidade. Tive a oportunidade de conhecer os primeiros produtos que a empresa trouxe para o mercado brasileiro e acompanhar o papel fundamental da companhia na consolidação da bilhetagem eletrônica no Brasil. Por sinal, Goiânia foi uma das pioneiras na implementação dessa tecnologia, que hoje é absolutamente indispensável.

Fomos uma das primeiras cidades a eliminar a necessidade dos cobradores nos ônibus. Hoje, com a tecnologia da Prodata, temos o sistema mais moderno do país com diferentes opções de meios de pagamento como ABT, cartões EMV e QR Code, além dos cartões de transporte.”

Edmundo Pinheiro é presidente do Grupo HP Transportes, que compreende as empresas HP Transportes Coletivos, em Goiânia, e diretor da Urbi Mobilidade, em Brasília.

………………………………………………………………………………………………………………………..

“A empresa Prodata Mobility Brasil, nos seus 30 anos de atuação, tem sido uma importante aliada na modernização dos meios de transporte de passageiros, beneficiando a mobilidade da população. Com atuação em várias capitais e cidade brasileiras, a Prodata tem contribuído para o aprimoramento da automação da cobrança de passagens e do controle de passageiros e frota.

Para as empresas operadoras representadas pela Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo (Fetpesp), a parceria com a Prodata significa um ganho na qualidade dos serviços oferecidos aos clientes e uma melhoria no controle operacional.”

 – Mauro Artur Herszkowicz, presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo (Fetpesp) e presidente da Viação Paraty.

……………………………………………………………………………………………………………………..

“A Prodata Mobility Brasil trabalha conosco desde 2007. São muito parceiros, estão sempre prontos a atender nossas demandas com a maior presteza. É uma empresa muito antenada com as tendências tecnológicas e desenvolvem sistemas muito avançados no campo da mobilidade. Toda a frota de ônibus de Porto Alegre (atualmente 1.480 veículos) possui os validadores da Prodata com a câmera de biometria facial.

A Prodata trabalha em parceria conosco desde o projeto de implantação da bilhetagem eletrônica nos ônibus de Porto Alegre. Também com a empresa ocorreu a expansão da nossa bilhetagem para as lotações e para a Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb). Todos os avanços tecnológicos que envolvem a bilhetagem eletrônica de Porto Alegre são feitos em trabalho conjunto com a Prodata. Exemplo disso é o sistema de biometria facial, que teve a implantação iniciada em 2017. Após, tivemos a implantação do CFTV (Circuito Fechado de Televisão) para monitoramento do ônibus. Em 2018, lançamos o aplicativo do cartão TRI com possibilidade de compra por cartão de crédito. Em 2019, tivemos a implantação do sistema de GPS na frota de Porto Alegre, e mais recentemente, em 2020, fizemos a adaptação do sistema de biometria facial para reconhecimento de pessoas com máscara. Em maio de 2020, lançamos a recarga expressa. E no final de 2020, iniciamos o projeto da Rede de Vendas”.

Stamatula (Tula) Vardaramatos, presidente da Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP), desde novembro de 2017, e comanda a Viação Teresópolis Cavalhada, que completou 60 anos em 2018.

Por