A Voith Turbo passou a utilizar a manufatura aditiva ou impressão 3D para atender o mercado de serviços. Segundo a empresa, que está presente em quase todos os metrôs e trens no Brasil, a tecnologia permite realizar reparos e reformas em componentes ferroviários com mais agilidade e menos custos

Com a impressão 3D é possível entregar peças de alta complexidade em um espaço de tempo até quatro vezes menor se comparado ao formato tradicional

A Voith Turbo está utilizando uma nova tecnologia para atender o mercado de serviços: a manufatura aditiva, conhecida como impressão 3D. Embora seja bastante discutida nos setores que fazem uso de tecnologias 4.0, ainda é pouco utilizada na indústria ferroviária.

Com esse recurso é possível realizar reparos e reformas em determinados componentes ferroviários com muita agilidade e rapidez na execução do serviço. Além disso, promove a sustentabilidade, por conta da quantidade menor de matéria prima necessária para produção e o não desperdício durante o processo. Consequentemente, tais vantagens resultam na diminuição dos custos do produto.

Com a impressão 3D é possível entregar peças de alta complexidade em um espaço de tempo até quatro vezes menor se comparado ao formato tradicional.

Uma peça nova que é preciso fundir, tem em geral um prazo de fabricação quatro a cinco meses na manufatura aditiva este prazo é quatro vezes menor. A Voith é uma das primeiras a oferecer esse serviço.

Um exemplo de sucesso ocorreu na fábrica da Voith na Alemanha. Uma peça danificada de locomotiva foi totalmente consertada com a utilização da manufatura aditiva. Após preparação do componente, foi feito o gêmeo digital da peça com toda sua geometria e os parâmetros foram inseridos na impressora. Após processo de impressão, que levou pouco mais de uma hora, a peça foi restaurada e liberada para utilização.

Leonardo Barbero, gerente de engenharia de aplicação e pós-vendas da Voith, afirma que todas essas vantagens impactam positivamente a cadeia de produção. “Em vez de concentrar esforços, tempo e recursos para realizar todo o levantamento da geometria, um novo projeto do molde, relacionar os custos a criação, para só depois realizar sua produção, é possível optar pela tecnologia e realizar esse reparo com a impressora 3D. Com isso, otimiza tempo, custo e garante a qualidade total do serviço”, pontua. Desafios gerados pela ausência de peças mais antigas, ou a demora no prazo de entrega de determinado serviço, são exemplos que serão solucionados por meio da manufatura aditiva.

Segundo Adelson Martins, vice-presidente de vendas da divisão de mobilidade da Voith América do Sul, pela divisão ferroviária da Voith no Brasil e na América do Sul, isso se deve ao investimento da empresa. “A Voith é uma empresa de tecnologia e atuação global. Contamos com ampla rede de unidades de produção e serviços. Somos orientados por valores e a maior prioridade é contribuir para definir mudanças de maneira sustentável e buscar soluções inovadores para nossos clientes. Combinamos nossas experiências da indústria com conhecimento digital além de investir parte do faturamento total em pesquisa e desenvolvimento.”

A Voith Turbo está presente em praticamente todos os metrôs e trens no Brasil e oferece a manutenção completa e soluções.

Por