Rodrigo Trevizan, CEO da wemobi: “Os brasileiros começaram a redescobrir o ônibus, seja pela questão da sustentabilidade ambiental ou pela comodidade de viajar mais tranquilamente pelas estradas”

A wemobi, startup de viagens de ônibus do Grupo JCA, completa um ano de operação com mais de 250 mil viagens realizadas entre São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná

Technibus – Como a wemobi se integra ao Grupo JCA?

Rodrigo Trevizan – A wemobi surgiu da iniciativa do grupo de implementar uma estratégia totalmente digital, que contemplasse especialmente a nova geração de consumidores. Os brasileiros começaram a redescobrir o ônibus, seja pela questão da sustentabilidade ambiental ou comodidade de viajar mais tranquilamente pelas estradas. Esse movimento é provocado pela mudança gradativa do perfil de passageiros e pela própria digitalização do mercado, fatores que abriram a oportunidade para a nossa chegada.

Technibus – A empresa tem ajudado a alavancar as vendas de passagens neste período de pandemia?

Rodrigo Trevizan – A wemobi foi concebida já com rigorosas medidas de segurança e higienização contra o coronavírus. Esse fator aliado ao nosso conceito low cost são atraentes para o consumidor atual, pois supre a demanda por um meio de transporte seguro e mais acessível. Nosso DNA digital também auxilia neste processo, pois a experiência de compra e atendimento do cliente é online, e o embarque é feito com QR Code ou sistema de reconhecimento facial – única empresa do setor com essa oferta. Serviços mais práticos, ágeis e intuitivos para os consumidores e que reduzem a utilização de papel.  Tivemos uma aceitação significativa do público, principalmente dos jovens, que buscam maneiras práticas e financeiramente viáveis de mobilidade. Batemos a marca de 250 mil viagens realizadas até aqui.

Technibus – Além da digitalização do processo de compra de passagens, que outras tendências destacariam em tecnologia para mobilidade?

Rodrigo Trevizan – Uma experiência digital pode ir muito além da venda de passagens por canais online. Na wemobi, por exemplo, oferecemos a opção de embarque por meio de um sistema de reconhecimento facial, sem contato e impressão de papel, garantindo mais praticidade, agilidade e segurança. Há também a opção de QR Code. É possível mesclar tecnologias de mercados mais avançados para descomplicar a experiência do transporte rodoviário. Algumas das que aplicamos na wemobi são: Data Science para estratégias mais assertivas, como definição de rotas e benefícios personalizados para cada passageiro; sistemas instantâneos de pagamento, como o recém-chegado PIX; e no contato e engajamento com o cliente, uso de redes sociais populares como o Tik Tok ou WhatsApp.

Technibus – Como o transporte rodoviário poderá reconquistar os passageiros? A tecnologia poderá ser uma aliada neste momento?

Rodrigo Trevizan – O setor já está em processo de transformação digital há alguns anos, provocado pelos clientes que querem as mesmas facilidades que encontram em outros serviços, como aplicativos de delivery, por exemplo. Estamos atentos as oportunidades de aprimorar os serviços e implementar novas iniciativas no segmento, sem renunciar à qualidade e segurança. A wemobi é um dos principais players responsáveis por este movimento, e entendemos que é preciso mesclar tecnologia, uma jornada descomplicada e boa experiência para atrair um novo público para as viagens rodoviárias. oportunidades de aprimorar os serviços e implementar novas iniciativas no segmento. Um ponto inegociável para nós é a segurança, e acreditamos que isso é muito importante para reconquistar os clientes

Technibus – Quais as mudanças no mercado de viagens rodoviárias que devem permanecer no cenário pós-pandemia?

Rodrigo Trevizan – A tendência é que o digital se mantenha no setor, gerando uma maior adesão das compras online. E como o orçamento de viagens foi reduzido no ano passado, a expectativa é que o preço se mantenha como um fator muito relevante na tomada de decisão dos consumidores, já que viagens passaram a ter um significado muito maior. Os protocolos de higiene e medidas de prevenção também seguirão indispensáveis na rotina de viagens. O setor rodoviário se adaptou ao momento para oferecer um serviço de mobilidade com segurança, praticidade e conforto.

 Technibus – Como funciona o embarque por reconhecimento facial?

Rodrigo Trevizan – A tecnologia utilizada na wemobi é da empresa Zoox Smart Data, que já aplica essa solução em diferentes redes hoteleiras no mundo. É um sistema parecido com a biometria de impressão digital, muito utilizado como item de segurança em bancos ou mesmo nos smartphones, com a diferença de que são os aspectos do rosto da pessoa que a associam à passagem que foi comprada.

Technibus – A empresa planeja ampliar as rotas? Há investimentos previstos?

Rodrigo Trevizan – Atualmente a frota é composta por 18 ônibus, mas a expectativa é chegar em 72 até o final do ano. As opções de destinos acompanham este processo de crescimento, tanto que está previsto para setembro 16 novos trechos, entre eles Balneário Camboriú (SC), Joinville (SC) e Juiz de Fora (MG), e a expectativa é chegar a 50 cidades até o final do ano. Recebemos um investimento recente de R$ 5 milhões da 2A.

Technibus  – Quais os principais diferenciais da wemobi em relação a outras plataformas de venda de passagens online?

Rodrigo Trevizan – A wemobi é mais que uma plataforma online de passagens – somos uma empresa de tecnologia voltada para facilitar a vida dos clientes nas viagens rodoviárias, fazendo curadoria dos operadores e garantindo um padrão com custo-benefício, através de simplificação dos processos fazendo assim as viagens mais descomplicadas, acessíveis e embasadas em tecnologia. Operamos dentro da legislação, com viagens regularizadas e saídas garantidas. Os veículos são modernos, seguros e operados por motoristas experientes. Buscamos, cada vez mais, trazer novas iniciativas e ferramentas para diversificar o mercado de acordo com as suas necessidades e tornar as viagens de ônibus cada vez mais atrativas para os nossos clientes.

Por