BYD conclui operação experimental com ônibus autônomo no Japão

Com esta iniciativa, o Aeroporto de Haneda, em Tóquio, se tornará o primeiro aeroporto internacional do país a realizar a operação piloto de um ônibus autônomo

Em parceria com a companhia aérea japonesa All Nippon Airways (ANA), a BYD concluiu uma operação experimental de dez dias de um ônibus autônomo, no Aeroporto de Haneda, em Tóquio, no Japão. Este é o primeiro ônibus autônomo da BYD testado e usado em cenários reais.

O ônibus BYD K9 tem capacidade de transportar até 57 pessoas. Durante a experiência, a equipe do aeroporto fez testes de direção autônoma em uma área específica para coletar dados essenciais para ajudar os desenvolvedores a melhorar as funções de direção autônoma e a eficiência operacional do veículo no futuro.

Realizado em conjunto pela ANA, BYD, Boldly e Advanced Smart Mobility, o projeto passou por três rodadas de testes de 2018 a 2020. A ANA planeja colocar o ônibus ainda em 2021 em operação diária para atingir plenamente sua meta de construir um aeroporto “Simples e Inteligente” até 2025.

“Na ANA, estamos constantemente procurando maneiras de aproveitar a tecnologia para aprimorar as operações e a eficiência”, disse Masaki Yokai, vice-presidente sênior da ANA. “Além de representar um avanço significativo para os aeroportos, os ônibus autônomos totalmente elétricos resultarão em menos emissões e redução da pegada de carbono nos aeroportos. Estamos otimistas de que esses testes nos darão as informações de que precisamos para continuar a melhorar essas tecnologias e permitirão à ANA manter sua liderança em inovação autônoma. “

Liu Xueliang, gerente geral da divisão de vendas de automóveis da BYD Ásia-Pacífico, disse: “A BYD está muito honrada em se juntar à ANA para realizar este abrangente teste de direção autônoma no Aeroporto de Haneda. Acredito firmemente que esta cooperação de quatro partes irá oferecer às pessoas uma experiência de viagem mais inteligente, segura e limpa no futuro”.

A BYD está presente em várias cidades japonesas, como Kyoto, Okinawa, Fukushima, Iwate, Yamanashi, Tóquio e Nagasaki.

Por