Empresa 1 destaca conceito de bilhetagem digital multisserviço na Lat.Bus 2021

A Empresa 1 tem desenvolvido suas soluções, com foco em inovação e integração tecnológica, com base no modelo de bilhetagem digital

A Empresa 1 participou da Lat.Bus Transpúblico 2021 com um estande virtual, em que apresentou conteúdos sobre inovação, tecnologias e cases de sucesso no transporte público, em um ambiente interativo que contou com duas palestras exclusivas sobre temas que impactam diretamente o setor.

Uma das novidades apresentadas pela empresa, em forma de palestra sob demanda disponibilizada na feira, foi o conceito de bilhetagem digital multisserviço, que é o modelo no qual a Empresa 1 tem desenvolvido suas soluções, com foco em inovação e integração tecnológica.

Na nuvem –

Nesse modelo, a plataforma de bilhetagem passa a ser um hub e permite aos operadores de transporte mais autonomia e flexibilidade para selecionarem soluções e inovações para seus sistemas, garantindo maior aderência às necessidades dos seus negócios.

A plataforma de bilhetagem da Empresa 1, Sigom Cloud, funciona por meio de serviços e permite a integração com outros sistemas, independentemente da linguagem ou tecnologia em que estão desenvolvidos, funcionando como uma ponte de conexão entre as aplicações.

Essas conexões acontecem por meio de API e conectores inteligentes, estruturas especialmente desenvolvidas para garantir que sistemas externos possam consumir dados e informações do sistema central, com segurança, rapidez e controle. Ou seja, a inteligência da solução de bilhetagem se concentra no núcleo do sistema, não nas aplicações da ponta.

Utilizar a capacidade de interação com o usuário por meio dos aplicativos para oferecer um serviço mais customizado é uma das principais características que fazem do transporte sob demanda uma boa alternativa para o transporte público.

Cases de sucesso –

Em Fortaleza, a Empresa 1 viabilizou a integração do serviço sob demanda com o sistema convencional de transporte por meio das funcionalidades do sistema online e de contas em nuvem.

Dessa forma, os usuários do vale-transporte e do bilhete único passaram a ter a possibilidade de pagar essas viagens com o cartão de transporte.  Isso multiplicou a utilização do sistema em questão de dias, mostrando que quanto mais conveniência é oferecida aos passageiros, mais ele estará inclinado a usar cada mais serviços os disponíveis.

Na prática, o usuário solicita o transporte via aplicativo e, ao embarcar, paga a viagem com o cartão de transporte no validador instalado dentro da van, que opera de forma online. A segurança das transações é garantida por meio de protocolos desenvolvidos pela Empresa 1 para integração da bilhetagem com outras soluções, seja de forma direta ou com terceiros.

A integração entre a plataforma de bilhetagem da Empresa 1 e o sistemas de pagamentos da RecargaPay em Macapá é feita por meio de APIs, que permitem a troca de informações básicas e não sensíveis para garantir a operação de ponta a ponta, ou seja, desde o pagamento pelo usuário até o recebimento do crédito pelo operador.

Para a gestão do transporte da cidade, os benefícios do novo modelo de venda são muitos: desde a expansão da venda do crédito sem investimentos altos, passando pelo aumento do uso do cartão de transporte, até a diminuição do dinheiro embarcado.

Para Emílio Gonçalves, diretor comercial e de marketing da Empresa 1, a experiência de participar pela primeira vez do evento de forma inteiramente online foi positiva, mas ressaltou que este modelo 100% virtual é uma necessidade no momento, mas que o contato é também muito importante.

“Percebemos que o alcance dos conteúdos disponibilizados pela Empresa 1 foi considerável, com muitas visitas ao nosso estande e ao auditório de apoio, onde os visitantes encontravam os nossos conteúdos sob demanda. Por outro lado, sentimos falta da interação pessoal, do contato com clientes, parceiros e interessados, algo com o qual estamos acostumados, já que participamos há muitos anos desse evento que é uma referência em mobilidade urbana na América Latina. Esperamos que no próximo ano voltemos à experiência tradicional ou, quem sabe, em um modelo híbrido”, comentou.

Por