Maurício Lourenço da Cunha, diretor industrial da Caio: “Acreditamos que as vendas, ao final de 2021, manterão os mesmos patamares do fechamento do ano de 2020″

“Até a quarta geração do Apache VIP, foram produzidas 50,5 mil unidades, número que coloca o modelo de motor dianteiro na posição de ônibus mais vendido do portfólio de produtos da marca Caio e do segmento de que participa”, comenta o executivo

Technibus – Como tem sido o ano de 2021 para a Caio?

Maurício Lourenço da Cunha – Assim como todo o segmento de transporte coletivo de passageiros, a Caio tem sofrido os efeitos decorrentes da pandemia, com o mercado bem mais fraco do que o esperado.

Technibus – Que modelos têm se destacado no mercado brasileiro?

Maurício Lourenço da Cunha – A Caio possui diversas soluções para o transporte coletivo de passageiros no segmento urbano. O modelo Apache VIP IV tem sido o veículo com maior número de emplacamentos anuais no Brasil, desde 2016 e, consequentemente, assim será com a nova geração do VIP.

No segmento de urbanos de motor traseiro, a Caio domina o mercado também, com mais de 90% das vendas, com os modelos Millennium IV (padron) e os articulados Millennium IV e Millennium BRT.

Technibus – Quais segmentos estão mais aquecidos?

Maurício Lourenço da Cunha – O fretamento é o segmento que cresceu nos últimos anos, sofrendo menor impacto com a crise sanitária. Muitas empresas aumentaram suas frotas de veículos fretados, devido à uma maior segurança no transporte de funcionários das empresas, mantendo o distanciamento social. Esse modelo essencialmente é vendido pela empresa Busscar, que faz parte do Grupo Caio.

Technibus – O programa Caminho na Escola deve continuar relevante para os fabricantes de ônibus?

Maurício Lourenço da Cunha – Sim. Cerca de 32% dos veículos emplacados em 2021 foram para o segmento de escolares. Em 2020, corresponderam a 20,8% do total de veículos emplacados. Com a grande crise no mercado de ônibus, os escolares aumentaram gradativamente sua participação (em porcentagem) na produção das empresas encarroçadoras. A nova licitação, que ocorreu há algumas semanas, gerará a demanda de mais sete mil escolares nos próximos anos.

TechnibusO transporte público continua bastante afetado pela pandemia e as medidas de isolamento social. O senhor acredita em uma recuperação – mesmo que parcial – desse setor ainda em 2021?

Maurício Lourenço da Cunha – Acreditamos que as vendas, ao final de 2021, manterão os mesmos patamares do fechamento do ano de 2020.

Maurício Lourenço da Cunha – Quais as expectativas de vendas da nova geração do Apache VIP? O novo modelo deve alavancar as vendas?

Technibus – Até a quarta geração do Apache VIP, foram produzidas 50,5 mil unidades, número que coloca o modelo de motor dianteiro na posição de ônibus mais vendido do portfólio de produtos da marca Caio e do segmento de que participa. Pelas contribuições que o modelo continua oferecendo ao transporte coletivo e aos operadores, a expectativa de vendas é positiva. Pela dificuldade enfrentada no setor de transporte de passageiros, não é possível quantificar o volume de vendas.

TechnibusEm termos de exportação, quais mercados têm registrado maior demanda e por quais modelos?

Maurício Lourenço da Cunha – Na América do Sul, o país que tem gerado maior demanda é o Chile, com os modelos de ônibus urbano motor traseiro: Mondego e Mondego Articulado. Na África, Angola gerou uma grande demanda, com o modelo Apache VIP.

Por