Mercedes-Benz colabora com a campanha da Cruz Vermelha Brasileira contra a Covid-19

Dois ônibus doados pela Mercedes-Benz foram transformados em unidades móveis de vacinação e irão percorrer vários estados para imunizar populações vulneráveis

A Mercedes-Benz do Brasil entregou, em 1º de junho, dois ônibus da marca transformados em unidades móveis de vacinação para a Cruz Vermelha Brasileira. Os dois veículos, um modelo rodoviário O 500 R e um urbano OF 1519, foram doados pela empresa à instituição e deverão ajudar a vacinar cerca de quatro mil pessoas por mês, o equivalente a um total de mais 144 mil beneficiados em três anos, contra a Covid-19.

Os ônibus irão percorrer vários estados do país para aumentar a capilaridade do atendimento, apoiados também por uma van Mercedes-Benz, de oito lugares, que será utilizada pelas equipes da Cruz Vermelha durante todas as etapas do projeto.

Essa campanha de vacinação da Cruz Vermelha contribui com o Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, além de envolver outras iniciativas de prevenção e promoção da saúde e de enfrentamento à pandemia do coronavírus. Assim como ocorre com as oito carretas da saúde, que são movidas por caminhões Mercedes-Benz e atendem a população brasileira (leia mais aqui), o projeto também conta com apoio do governo alemão, que financiou a transformação dos ônibus em postos móveis de vacinação.

Com essa parceria, a Mercedes-Benz apoia a Cruz Vermelha em seu propósito de alcançar especialmente a população de difícil acesso que vive em alto grau de vulnerabilidade social. Dois roteiros – um que parte de São Paulo até São Luis (MA) e outro com destino à Rio Branco (AC) -, começam a ser cumpridos desde já e a meta é atender todas as regiões do Brasil até o fim do projeto, que tem duração prevista de três anos.

“Com nossos ônibus, buscamos oferecer mobilidade e segurança para que a Cruz Vermelha possa cumprir sua importante missão de levar vacinas, como também saúde e cuidados a populações carentes”, diz Karl Deppen, presidente da Mercedes-Benz do Brasil & CEO América Latina. “Estamos orgulhosos com mais essa parceria humanitária que preserva vidas e que está alinhada à estratégia de responsabilidade social da nossa Empresa. Essa é uma forma de construir pontes com a comunidade e com os usuários de ônibus em meio à pandemia”.

Parceiros

Com suporte oferecido pela Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de São Paulo (AHK São Paulo), a participação do governo alemão no projeto de unidades móveis de saúde é realizada por meio do develoPPP.de, um programa do BMZ que, entre diversas ações globais, destina recursos para programas em países emergentes e em desenvolvimento com foco em questões sociais, ambientais e econômicas.

As transformações dos ônibus em unidades de vacinação ficaram a cargo da Eco X, empresa especializada do setor. A Elber Medical forneceu as câmaras de conservação das vacinas e a Sunew, os painéis solares que garantem energia para as geladeiras de vacinas (adesivos no teto do veículo com a inovadora tecnologia OPV para o modelo rodoviário).

Programa de vacinação-

A operacionalização e a execução das atividades de saúde nos dois ônibus ficarão a cargo das filiais da Cruz Vermelha Brasileira presentes em 18 estados do país, numa parceria com as secretarias de saúde e prefeituras das cidades atendidas. A vacinação seguirá a ordem dos grupos prioritários definidos pelo Plano Nacional de Imunização do ministério da saúde. As demais atividades, como a realização de testes rápidos, educação em saúde e apoio psicossocial, serão desenvolvidas dentro da capacidade de cada filial da entidade.

O ônibus rodoviário cedido pela Mercedes-Benz será utilizado no chamado Circuito Nordeste, que seguirá por Maceió (AL), Natal (RN), Fortaleza (CE) e São Luís (MA), num total de 4,35 mil km. A previsão é que sejam atendidos cerca de 2,5 mil beneficiários por mês em todas as atividades realizadas apenas neste veículo, com envolvimento de 22 voluntários.

O Circuito Norte será cumprido pelo ônibus urbano, passando por Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Porto Velho (RO) e Rio Branco (AC), num total de 6,57 mil km. A previsão é de 1,5 mil pessoas atendidas por mês, com 14 voluntários, no modelo urbano.

Juntos, com os dois ônibus, estima-se que mais de 144 mil pessoas sejam vacinadas em três anos, prazo estabelecido para o projeto.

Transformação especializada

Tanto no ônibus O 500 R, como no OF 1519, todos os assentos de passageiros foram retirados, dando lugar a ambientações especialmente desenvolvidas para aplicação das doses de vacina. Além disso, houve a instalação de um sistema de energia solar que irá garantir o abastecimento de energia para as geladeiras de vacinas. No interior dos veículos, há ainda luz ultravioleta, tecnologia que contribui para melhor higienização e segurança sanitária.

O ônibus rodoviário permitiu a instalação de cinco boxes de vacinação com cortina hospitalar, armário aéreo, gaveteiro, dispenser de álcool gel e porta papel toalha em cada um deles, uma sala de monitoramento com dois notebooks e dois monitores, três geladeiras para armazenamento de vacinas (com capacidade de 2,8 mil multidoses cada geladeira), três armários com cuba, mesa dobrável para copa, filtro de água e toalete. O sistema de ar-condicionado é do modelo split. O acesso dos usuários é feito pela porta de entrada do veículo. No lado externo, foram instalados toldos.

No ônibus urbano, foram instalados três boxes de vacinação com cortina hospitalar e os mesmos equipamentos.

Por