Caio produz 132 ônibus urbanos com soluções de biossegurança para Angola

Todos os ônibus contam com barreira de proteção para motoristas e cobradores, item importante no atual momento de crise sanitária

O Grupo Asperbras adquiriu 132 ônibus, no modelo Apache Vip, produzido pela Caio Induscar. Os veículos fazem do Projeto de Transporte Urbano Regular de Passageiros (TURP) de Angola, na África, que começou no ano passado, com objetivo de expandir e modernizar o sistema de transporte público na capital da província de Huíla, em Lubango.

Todos os ônibus contam com barreira de proteção para motoristas e cobradores, item importante no atual momento de crise sanitária. O kit de proteção para isolamento de motoristas e cobradores, com componentes em vidro, é uma das soluções do sistema Caio Protect desenvolvido pela fabricante.

Os veículos adquiridos partem de Botucatu, onde está localizada a unidade fabril da Caio, no interior de São Paulo, rumo a Angola. O primeiro lote dos veículos será embarcado no início de novembro.

Todas as unidades possuem 10,5 metros de comprimento, embarque dianteiro e lotação total para 65 pessoas. Contam com poltronas reservadas a pessoas com mobilidade reduzida, PcD e idosos, e degrau escamoteável, que facilita o acesso ao ônibus. Também são equipadas com poltronas injetadas para os passageiros, facilitando a limpeza, e assento hidráulico com encosto de cabeça e deslocamento lateral para o motorista, além de portas tipo fole, com acionamento eletropneumático e bloqueadores, os quais evitam abertura inesperada durante o trajeto.

Os ônibus possuem ar-condicionado, itinerários eletrônicos, iluminação em LED, catraca eletromecânica, preparação para sistema de bilhetagem eletrônica e layout de assento específico, definido pelo cliente em conjunto com a Caio.

Projeto –

Desde outubro de 2019, a população da região de Huíla tem à disposição linhas de ônibus que permitem o acesso aos principais centros comerciais, administrativos e residenciais da cidade. Grande parte da população dependia anteriormente de candongas (vans) e mototáxis para se locomover.

Em um ano, a Asperbras, que coordena o projeto de transporte público no país africano, contabiliza mais de 30 mil viagens, com cerca de um milhão de passageiros transportados, mais de 500 mil quilômetros rodados e 100 milhões de kwanzas arrecadados (R$ 881,8 mil)

Por