Braspress pretende crescer 20% em 2020

A transportadora de cargas fracionadas mantém os investimentos em tecnologia, frota e fortalecimento da rede, com a modernização dos hubs logísticos

A Braspress termina 2019 com um incremento de 8% em faturamento e volume de cargas. “Foi um ano excepcional para a empresa. Apesar das incertezas com relação ao novo governo e aos rumos da economia, crescemos dez vezes mais que o PIB do país. Para 2020, devemos manter esse ritmo. Se o PIB crescer cerca de 2%, como é o esperado, a companhia deve ter uma expansão de 20%. As possibilidades de que isso ocorra são muito favoráveis”, afirma Urubatan Helou, diretor presidente da Braspress.

De acordo com Helou, a capacidade de atendimento da Braspress e a fragilidade da concorrência colaboram para resultados tão positivos. “Mesmo nos tempos de crise, a Braspress nunca deixou de investir em ampliação da rede, renovação de frota, melhoria da estrutura, tecnologia e modernização de nossos hubs logísticos. Assim, nos distanciamos em termos de qualidade dos nossos concorrentes”, avalia.

Quanto aos aportes previstos para os próximos anos, o diretor presidente da Braspress é taxativo. “Não temos planejamento de investimento. Investimos tudo que podemos. Nosso Ebitda deve apresentar crescimento de 11,5% a 12% neste ano. Esse será o montante investido nos itens já citados. Nossos investimentos são constantes e substanciais”, explica Helou. O faturamento da Braspress em 2019 deve chegar a R$ 1,2 bilhão.

A ampliação do portfólio de produtos e serviços também impulsiona o crescimento da empresa. A Braspress atua tradicionalmente com cargas fracionadas e tem explorados novos nichos. “Estamos sempre inovando. Atuamos no e-commerce, um mercado bastante promissor e que se encaixa no nosso perfil de cargas de dez a 30 quilos. No segmento internacional, estamos atuando em lotação, com entregas na Argentina e no Uruguai”, conta Helou.

A Braspress iniciou operações rodofluviais entre São Paulo e Manaus. A divisão Amazon foi criada para atender a demanda crescente de clientes na região amazônica, proporcionando redução dos prazos e maior acuracidade em todas as fases do processo operacional. Cerca de 20 carretas da empresa navegam pelo Rio Amazonas, entre Belém e Manaus. ‘’É um nicho importante, também em carga lotação. O objetivo é ter 100% do processo de coleta, transferência e entrega feitas pelos veículos e estruturas próprias da empresa. Nesta primeira etapa do projeto, foram adquiridos 60 veículos de grande porte que farão as transferências dos grandes centros urbanos do Brasil para Manaus e vice-versa’’, afirma Helou.

Com um terminal de carga de cerca de sete mil metros quadrados, a Braspress já atuava em Manaus no modal aéreo. A capital do Amazonas é hoje o principal centro urbano, financeiro e industrial da região norte do Brasil, com uma região metropolitana que ultrapassa 2,5 milhões de habitantes. O município possui o oitavo maior PIB do Brasil, que é impulsionado pela Zona Franca de Manaus. O polo industrial criado pela Zona Franca tem cerca de 600 indústrias de diversos setores.

Outro segmento que se destaca nas operações da Braspress é o de fármacos. “É um segmento que se consolidou em nossa empresa devido à qualidade dos serviços e a fluidez das informações que os clientes têm sobre a carga, em real time. Hoje, essa divisão responde por 20% de nosso faturamento”, conta o diretor presidente da empresa. Em janeiro, a transportadora adquiriu 30 novos veículos Mercedes- Benz Atego 1419 com baús frigoríficos e equipamentos de refrigeração para a distribuição de produtos com temperatura controlada, para o transporte de produtos farmacêuticos.

Entre os investimentos recentes da empresa, foram aportados R$ 260 milhões no hub de Guarulhos, com a instalação de um sistema automatizado de distribuição de encomendas (sorter).

TESTES

Em tecnologia, a Braspress lançou ainda o aplicativo do motorista para facilitar o trabalho e aproveitar melhor o tempo dos profissionais do volante. Quatro motoristas da companhia utilizaram o aplicativo de maneira experimental durante a fase de testes. O período de testes foi essencial para a realização de melhorias com base na experiência dos primeiros usuários. O aplicativo passará por constantes atualizações e melhorias segundo o apontamento dos usuários e do próprio avanço tecnológico.

De acordo com a empresa, a navegação pela ferramenta é simples e intuitiva, além de conter ícones que facilitam a localização das informações. O motorista faz o login com uma senha utilizada pela telemetria. Após o login, o profissional seleciona o ícone de telemetria ou de manutenção de frota.

Em novembro, a Braspress deu início ao período de testes com um caminhão automatizado nas operações urbanas da Aeropress, divisão rodo aérea da companhia. O veículo escolhido é o Volkswagen Delivery 9.170 V-Tronic, com seis marchas e 165 cv de potência. Milton Petri, diretor vice presidente da empresa, avalia os impactos do VW Delivery 9.170: “Buscamos intensamente por soluções inovadoras que possam otimizar e agilizar os serviços, aprimorar a experiência dos nossos clientes e impactar positivamente no trânsito da cidade. O mercado tem apresentado alternativas e cabe a nós testar qual delas possui melhor aderência ao nosso negócio”, afirma. O superintende da Aeropress, Jacinto Júnior, informou que o veículo será testado pelo período de um ano, enquanto a companhia analisa seu desempenho na operação. “Mesmo em fase de testes, o VW Delivery 9.170 chegou para marcar uma nova fase cheia de transformações e melhorias”, informa.

O veículo tem capacidade para transportar até nove toneladas e possui controles inteligentes, ar-condicionado e transmissão automatizada conta com sistema de sensores que analisam o funcionamento do motor e fazem a mudança de marcha automaticamente.

Sérgio Pugliese, gerente executivo de vendas da Volkswagen Caminhões e Ônibus, comenta: “A Braspress é a primeira empresa que recebe um Delivery 9.170 automatizado. Esse modelo já é um sucesso de vendas e agora fica ainda melhor com a transmissão desenvolvida especialmente para nossa linha. O resultado será maior produtividade nas operações e conforto no dia a dia de seus motoristas ”.

Veja também

Por